domingo, 9 de janeiro de 2011

MOACYR SCLIAR - A síndrome do ninho vazio

MOACYR SCLIAR - A síndrome do ninho vazio – ou a glória dos múltiplos ninhos?
Convenhamos, a independência dos filhos é, ao fim e ao cabo, um triunfo para os pais

Ano-Novo, vida nova, é um dito clássico. Que, contudo, raramente se traduz em mudança real. Na maioria das vezes, continuamos levando nossas vidas, mantendo nossas rotinas, postergando nossos projetos revolucionários. Mas toda regra tem exceção, e o Beto Scliar é disso um exemplo: ele começou 2011 no seu próprio apartamento, por ele muito bem instalado e decorado. Mais do que isso, e ao menos para seus orgulhosos pais e para a Ana, está se revelando um grande dono de casa. Ou seja, é um marco em sua bela trajetória pessoal e profissional.

Em algum momento os filhos têm de sair do reduto paterno-materno. A época para isso varia de acordo com as culturas, com as famílias. Nos Estados Unidos, a independência tradicionalmente ocorre no momento em que o jovem vai para o college, que mais ou menos equivale à nossa universidade. A regra é que isso se faça com mudança de cidade (quanto mais distante melhor), e a partir daí o rapaz ou a moça terão de tomar conta de si mesmos.

Na classe média brasileira, a coisa sempre foi mais flexível, e essa flexibilidade aumentou na medida em que cresceu a expectativa de vida e na medida em que a independência, cada vez mais dependente do diploma, do mestrado, do doutorado, foi sendo adiada. Uma adolescência prolongada, portanto, mas não infinita (ou, parafraseando Vinicius, infinita enquanto dura). De qualquer modo, a ideia da família extensa, que até era um costume no período colonial (entre os ricos ao menos) foi ficando coisa do passado.

Claro, é uma mudança, e toda a mudança tem suas implicações. Amigos nos perguntaram, e com razão, se já estamos com a síndrome do ninho vazio. A expressão, provavelmente de origem americana (“empty nest syndrome”) é muito conhecida; remete a quase 200 mil referências no Google, a dezenas de artigos que analisam esta situação. Os autores apontam algumas vantagens (o refrigerador não é mais saqueado pelo filho e pelos amigos, a mãe não tem mais que arrumar quartos que parecem um cenário de guerra, a casa fica mais silenciosa), mas reconhecem que esta ordem, esta limpeza, este silêncio podem ter o seu lado melancólico. E aí sucedem-se os conselhos tipo autoajuda, que incluem até indicações de terapia.

Será que é para tanto? Convenhamos, a independência dos filhos é, ao fim e ao cabo, um triunfo para os pais. O ninho poderá ficar um tanto vazio, mas a verdade é que outro ninho surge, não raro vários deles. São casas que acolhem os pais, são lugares que lhe proporcionam surpresas. É a nossa superfície de contato com o mundo que se expande, e isso sempre é consolador.

Não é de admirar, pois, que repetidos estudos realizados a respeito (nos Estados Unidos, obviamente; onde mais?) mostrem que o índice de felicidade conjugal, avaliado através de indicadores, melhora quando os ninhos ficam múltiplos, e quando o casal pode, de certa forma, se redescobrir.

Voar É com os Pássaros era o título de um antigo e clássico filme. Não, voar não é só com os pássaros. Nós também voamos, seja nos aviões (quando os voos não são cancelados), seja através de nossa imaginação. Cada ninho, onde quer que esteja, é uma base para os sonhos. Entre eles, claro, o sonho de nossa própria casa.

14 comentários:

Cleverton Barros de Lima disse...

Muito bom sua reflexão; acho mesmo que os pais sintam a falta dos filhos,entretanto, acredito que a felicidade é satisfatória no amadurecimento dos filhos.
ótimo 2011.

Mariel Hidalgo Garcia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariel Hidalgo Garcia disse...

Interessante! Para prevenir essa Síndrome, as pessoas deveriam se preparar, criar novas atividades à medida que os filhos crescem. Eu tenho me esforçado. Aproveito para desejar ao Sr. Scliar uma boa recuperação em sua saúde. Admiro muito seus livros e textos! Abraços.

Antonio Jorge disse...

Estou aqui lendo este Blog e lembrando de suas crônicas que não vejo mais..saudades,que Deus esteja sempre a seu lado.

Patricia disse...

Hoje o ninho vazio, o sentimos nós,leitores e também amigos e familiares do nosso querido escritor.
Você tem razão,Moacyr,voar não é só para os pássaros:voa você, a buscar novos lugares onde aninhar a alma,voamos nós,no tempo de nossas saudades e nas linhas dos inesquecíveis textos que deixaste.

BLOG DO PROFEX disse...

Estou passando para parabenizar seu trabalho. E ao mesmo tempo deixar um carinho aos seus leitores por ocasião da passagem de Moacyr Scliar, lembrado aqui.Cr´tico, inovador e ao mesmo tempo sempre positivo:
"(...)Cada ninho, onde quer que esteja, é uma base para os sonhos.(...)"
Luz e Paz!

mar disse...

Por quem devem dobrar os sinos?
Hoje não importa onde, se nas catedrais da Espanha ou em Belém...Se nas sinagogas ou mesquitas...Não importa em que templo e a que tempo, se buscas a Paz.
Nas ruas de um Porto, hoje não muito alegre, dobraram por Moacir Scliar. Nos corações e mentes dobraram como que anunciando tua chegada mais perto de Deus.
Por tua simples nobreza, pela tua decencia, pela tua sabedoria humilde, pelo teu humanismo, pela tua ética, pelos teus olhos de bondade...por ti Scliar soam milhares de sinos...
Scliar Aqui! Presente! Hoje e Sempre! Luz Sabedoria Humildade! Marcio Afonso Abip

disse...

Beto,

gostaria de ter uma palavra de consolo para te dar, mas me sinto absolutamente tão triste, que não consigo me expressar...
Fica, por enquanto, com meu abraço, também de muita saudade, por quem nos representa tanto...eternamente aquele Anjo, Moacyr
Regina Fabrício

LEIA SILAS Literatura Contemporânea disse...

Poema Para Moacyr Scliar


In Memoriam
Morreu Moacyr Scliar
E parece que foi já ontem
Em que lhe enviei livros e versos
E ele foi muito generoso comigo
Um ilustre desconhecido...

Morreu Moacyr Scliar
Foi escrever prosa no céu
Com sua alma e coração de ouro
A pintar tantas brasilidades
De suas diásporas íntimas...

Morreu Moacyr Scliar
Ficaram suas obras lindas
E suas histórias cheias de vida
Que ele juntava às suas
Para curar, alvar os limbos...

Morreu Moacyr Scliar
E deixou-nos sua vida-livro
Para cantarmos universos e prosas
Todas as histórias do seu ser
Como escritor brasileiríssimo...

-0-

Silas Correa Leite
Santa Itararé das Artes/Samparaguai, Fevereiro 2011
www.portas-lapsos.zip.net

ana disse...

hOJE É NÓS, QUE SENTIMOS O NINHO VAZIO. vAI COM DEUS.

IDÉIAS E CRITÍCAS disse...

Moacyr, escreveu a sua vida, deixou saudade.Sempre sera lembrado pela sua contribuição para com a nossa cultura.

att

Leandro

Cristina disse...

Excelente texto que nos faz pensar como homem como filho e como pai que ficara so em seu ninho.fabio Padilha

fatima-brambilla@hotmail.com disse...

Muito importante sua colocação;acho certo que realmente os pais sintam a falta dos filhos, mas, acredito também que os filhos precisam viver e os pais precisam entender que outros ninhos surgiram.

fatima-brambilla@hotmail.com disse...

Muito importante sua colocação;acho certo que realmente os pais sintam a falta dos filhos, mas, acredito também que os filhos precisam viver e os pais precisam entender que outros ninhos surgiram.